“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma cousa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta”. (Mateus 5.23,24) A reconciliação não é algo a ser praticado somente entre nós e Deus, mas também para com nossos irmãos. Reconhecemos, que, à semelhança da cruz, também temos duas linhas do fluir da

“Orarei com o espírito, mas ao mesmo tempo com a mente; cantarei com o espírito, mas igualmente com a razão.” – 1 CORÍNTIOS 14.15 Orar “com o espírito” e orar “no espírito” incluem orar em línguas. Podemos orar com o nosso entendimento (a nossa mente) e com o nosso espírito. Ambos os tipos de oração são importantes, mas orar com o nosso espírito nos impacta de uma maneira diferente do que orar com a nossa

Bíblia narra um milagre extraordinário, operado por Jesus Cristo, nosso Senhor. É o relato de como um casamento foi tocado pelo poder de Deus, e de como o seu casamento poderá ser tocado também! Observemos o relato bíblico:

“Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, e

Há uma ordem de governo e autoridade estabelecida por Deus no lar. O marido é chamado o cabeça (Ef 5.22-24), e entendemos que como tal tem direito à palavra final. Porém, isto não quer dizer que o homem esteja sempre certo ou que não deva ouvir sua mulher. Encontramos no Velho Testamento uma ocasião em que o próprio Senhor diz a Abraão, seu servo:

Página 1 de 2

RÁDIO NOVA GERAÇÃO - SÃO PAULO © 2022 - Todos os direitos reservados